FIQUE A PARAcompanhe os destaques e principais tendências do dia que influenciam as bolsas em todo o mundo.
Outlook Análise Técnica Research Investimento Educação
14.12.2021 16:12
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @4640 O fecho de sexta-feira, embora novamente com fraco volume e desenhando várias divergências negativas, foi claramente acima dos 4700 e até acima do “stop” que sugerimos no plano anterior. Mais uma dolorosa “bull trap”. Obviamente que com o preço novamente abaixo dos 4660, o cenário defendido é o mesmo (sai reforçado com a “bearish island reversal”  desenhada nas últimas sessões), mas numa óptica de “trading”, somos forçados a esperar por, pelo menos, um “pullback” à zona dos 4675/80 para podermos elaborar novo plano de entrada. Relembramos, acima dos 4700 (“bullish”) ou abaixo dos 4660 (“bearish”), o “bias” é claro.       Análise Anterior: S&P500 @ 4683 O índice S&P500 quebrou a linha de tendência ascendente e a zona de resistência nos 4660 com um enorme “gap up” de abertura. Numa óptica de “trading”, é o oposto de uma oportunidade de entrada (para os nossos modelos). Por outro lado, é visível a incapacidade para o índice tecnológico em aguentar a zona dos 16400 e o índice VIX (na zona dos 20) continua a manter alguma dúvida para o curto prazo (no que toca a novo impulso forte na volatilidade). Acima dos 4700 mandam os “bulls” e a sazonalidade fará o resto. Abaixo dos 4660 volta a estar em cima da mesa o teste à exponencial dos 200 dias. A nossa sugestão vai ter como base, e como habitualmente, o sinal do MACD horário nas zonas de resistência, neste caso apoiada em mais uma divergência no oscilador que utilizamos. O plano é então o seguinte:   Entrada nos 4683 com um “stop” @ 4708 e como objectivo, os 4458 (na zona do suporte intermédio antes da exponencial dos 200 dias – referido na última nota). Continuamos com 1/32 do risco máximo (rácio risco/retorno de 9)       Análise Anterior:S&P500 @ 4554 O 1º objectivo em baixa está atingido e ultrapassado. O bias continua negativo e saiu reforçado com novo teste falhado à resistência destacada nos 4660. Relembrando a regularidade com que o índice testa a exponencial dos 200 dias (ainda ligeiramente abaixo dos 4300), será esse o movimento que devemos esperar para as próximas semanas, desde que o preço não reconquiste os 4660, ou pelo menos não sustente acima dos 4566. Como suporte intermédio que pode provocar uma boa reacção em alta, a zona dos 4456.       Análise Anterior: S&P500 @4655 O índice negociou claramente abaixo dos 4598 na sessão de Sexta-feira, antes de um “spike” que despoletou o “protect-profit-stop” @ 4618. O plano sugerido está fechado mas a sessão de ontem não foi suficiente para invalidar a nossa expectativa. O nosso “bias” para o curto prazo continua negativo até um fecho diário acima dos máximos de ontem, ou pelo menos acima dos 4660. Próximo objectivo em baixa na zona dos 4550.       Análise Anterior: S&P500 @4618 O índice acabou de fazer um fecho horário abaixo dos 4652, pelo que a posição sugerida é neste momento “sem risco” (“stop” no “breakeven”), mas faz sentido sugerirmos vários ajustes ao plano (que continua com objectivo nos 4558). Para já vamos definir um “protect-profit-stop” nos 4658 (garantindo 2x o risco inicial) e se o preço fizer um fecho horário abaixo dos 4622, faremos nova alteração para os 4638 (3x o risco inicial). Podemos também definir mais duas alterações do “protect.profit-stop”: - A quebra dos 4598 em negociação obrigaria a alterar o “stop” para os 4618; - A quebra dos 4578 em negociação, permitiria uma última alteração, agora para os 4598.       Análise Anterior: S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
13.12.2021 11:55
INVEST OUTLOOK
2022
Apesar da volatilidade provocada pelo surgimento, no final de Novembro, de mais uma variante do vírus SARS-COV2 – a variante Ómicron – os mercados accionistas terminam o ano de 2021 com valorizações expressivas, suportadas por um cenário macroeconómico robusto, liquidez ainda abundante e taxas de juro reais negativas, quando descontadas pela taxa de inflação. Desta forma, a Alocação de Activos recomendada mantém-se inalterada relativamente ao trimestre anterior. A diversificação continua a ser fundamental, combinando posições com maior risco e rendibilidade esperada, como é o caso das Acções, com posições de menor risco e retorno, como a Liquidez e o Ouro. Entre as Acções, a abordagem deverá ser global e com exposição às grandes tendências dos próximos anos, como a transição digital e energética. Evolução dos indicadores macroeconómicos De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Produto Interno Bruto (PIB) mundial é esperado crescer 5,9% em 2021, valor revisto ligeiramente em baixa (-0,1 pontos percentuais, p.p.) face à estimativa realizada em Julho devido, nas economias avançadas, à manutenção das disrupções nas cadeias de abastecimento, e, nas economias emergentes e em desenvolvimento, devido ao agravamento da situação pandémica.   Para 2022 é antecipado uma desaceleração para os 4,9% (sem alteração pp face a Julho), num movimento natural de normalização e transição para uma nova fase da recuperação da forte crise registada em 2020. Esta fase de crescimento mais moderado é esperada ser acompanhada por uma igualmente moderação da taxa de inflação para os 2,3%, após os 2,8% registados em 2021, em média, nas economias avançadas. A recuperação permanece muito desigual entre países e sectores económicos, em termos de output e emprego. Com efeito, apesar dos indicadores de mobilidade continuarem a recuperar, os índices PMI evidenciam algum abrandamento, desde Maio último, em especial na região da Ásia-Pacífico, incluindo na China, onde os processos de vacinação se encontram mais atrasados, o que tem contribuído para o prolongar da pressão nas cadeias de abastecimento globais.  índices PMI Global Fonte: Bloomberg. Estados Unidos Em 2021, a economia norte-americana é esperada crescer 6,0%, segundo o FMI. No próximo ano, o crescimento deverá abrandar para os 4,3%. A economia norte-americana cresceu 2,0% (taxa anualizada) no terceiro trimestre deste ano, menos 4,7 p.p. do que no trimestre anterior. Em termos anuais, quando comparado com o mesmo período do ano passado, o PIB cresceu 4,9%, o que compara como os 12,2% registado no trimestre anterior. Para este abrandamento contribuíram, entre outros, a progressiva diminuição dos efeitos dos estímulos fiscais e o aumento dos casos de infecções de Covid-19, assim como a manutenção das restrições nas cadeias globais de abastecimento, os quais têm pesado tanto no consumo como na produção.   A taxa de desemprego continuou a diminuir, fixando-se nos 4,6% em Outubro, o nível mais baixo desde Março de 2020. Apesar dos constrangimentos reportados em alguns sectores, em termos de falta de mão-de-obra, o emprego continua a recuperar, tendo o número de pessoas empregadas aumentado para 154,0 milhões, mais 360 mil relativamente ao mês anterior. Crescimento do PIB, ISM e Taxa de Desemprego Fonte: Bloomberg.   Após o máximo histórico de 63,4 pontos em Julho, o índice PMI Manufacturing diminuiu ligeiramente para os 58,4 pontos, em Outubro. Apesar de confortavelmente acima do threshold dos 50 pontos, este foi o registo mais baixo dos últimos três meses, com o crescimento da produção a ser prejudicado por restrições de capacidade e escassez de matérias-primas. No sector dos serviços assistiu-se, pelo contrário, a uma aceleração na actividade, com o índice PMI a subir dos 54,9, em Setembro, para os actuais 58,7 pontos.   Por sua vez, em Outubro, a taxa de inflação situou-se nos 6,2%, mais 0,8 p.p. que no mês anterior. Para este forte aumento contribuíram, sobretudo, as rúbricas de energia (30%), veículos usados (26,4%) e veículos novos (9,8%). Os aumentos dos preços do alojamento e da alimentação situaram-se nos 3,5% e 5,3%, respectivamente. Excluindo os custos com energia e alimentação, a taxa de inflação situou-se nos 4,6%, um valor muito acima da referência do banco central (2%) e o mais elevado desde Agosto de 1991. Confiança dos Consumidores e Taxa de Inflação Fonte: Bloomberg.   De acordo com as últimas projeções do FMI, a economia norte-americana deverá crescer 6,0% este ano (-1,0 p.p. face à estimativa de Julho), e 5,2% em 2022 (+0,3 p.p.). Por sua vez, a taxa de inflação média é esperada situar-se nos 4,3% em 2021, e nos 2,4% em 2022. Zona Euro A economia da Zona Euro cresceu 2,2%, no terceiro trimestre deste ano. Em termos homólogos, o crescimento aintgiu os 3,7% O PIB da Zona Euro cresceu 2,2%, em cadeia, no terceiro trimestre de 2021, mais 0,1 p.p. que no trimestre anterior. Deste modo, a economia do bloco continua a recuperar da crise provocada pela pandemia da Covid-19, tendo a Áustria (3,3%), a França (3,0%) e Portugal (2,9%) registado os melhores desempenhos no trimestre. Por sua vez, o PIB da Alemanha cresceu 1,8% e o da Itália subiu 2,6%, no terceiro trimestre. Em termos homólogos, o crescimento do PIB da Zona Euro fixou-se nos 3,7%, após os 14,2% registados no trimestre anterior.  Crescimento do PIB e Taxa de Desemprego Fonte: Bloomberg.   A taxa de desemprego na Área do Euro recuou para 7,4% em Setembro último, em linha com as projeções do mercado. Trata-se da leitura mais baixa desde Abril do ano passado, tendo o número de pessoas desempregadas diminuído para os 12,1 milhões. Entre os jovens, a taxa de desemprego também caiu, dos 17,2% em Junho, para os 16,0% em Setembro. A Espanha (14,6%), a Itália (9,2%) e França (7,7%) permanecem os países do Euro com a maior taxa de desemprego, enquanto a Holanda (3,1%) e a Alemanha (3,4%) registam a menor. Euro: Confiança dos Consumidores e Taxa de Inflação Fonte: Bloomberg. Tal como nos Estados-Unidos, também na Zona Euro a taxa de inflação tem vindo a subir. Com efeito, em Outubro a taxa de inflação média foi confirmada nos 4,1%, o valor mais elevado desde Julho de 2008 e bem acima da meta do Banco Central Europeu (BCE) de 2%. Ainda assim, vários responsáveis do BCE têm reafirmado que as pressões inflacionárias são temporárias e justificadas pelo efeito do ano-base e os constrangimentos nas cadeias de abastecimento globais. O custo da energia foi responsável por grande parte do aumento, com uma subida de 23,7% em Outubro, em termos homólogos. Excluindo os preços da energia e alimentação, a inflação core subiu para os 2,0% (0,9% em Junho), o valor mais elevado desde Outubro de 2008 mas igual à taxa de referência do BCE.   De acordo com as últimas previsões do FMI, a Zona Euro deverá crescer 5,0% este ano (+0,4 p.p. face à estimativa de Julho) e 4,3% em 2022. Por sua vez, a taxa de inflação média foi revista em alta, para os 2,1% (+0,7 p.p.) em 2021, e para os 1,8% (+0,5 p.p.) em 2022.   Entre os principais países do bloco, a Alemanha é esperada crescer este ano 3,1%, a França 6,3%, a Itália 5,8% e a Espanha 5,7%. No próximo ano as taxas de crescimento esperadas são 4,6%, 3,9%, 4,2% e 6,4%, respectivamente. Portugal De acordo ocom as últimas previsões do FMI, a ecnomia portuguesa é esperada crescer 4,4% e 5,2%, em 2021 e 2022, De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o PIB nacional, em termos reais, registou uma variação homóloga de 4,2% no 3º trimestre de 2021. No trimestre anterior, a variação homóloga do PIB tinha sido 16,1%, resultado influenciado, em grande medida, pelo forte impacto da pandemia no 2º trimestre de 2020. A dissipação parcial deste efeito de base traduziu-se num contributo positivo da procura interna para a variação homóloga do PIB menor que o apurado no trimestre anterior. Por sua vez, o contributo da procura externa líquida foi ligeiramente mais negativo no 3º trimestre, traduzindo um aumento das Importações de Bens e Serviços mais acentuado que das Exportações de Bens e Serviços. Refira-se ainda que, no 3º trimestre de 2021, o deflator das exportações e, em maior grau, o deflator das importações terão registado crescimentos expressivos, sobretudo relacionados com a evolução dos preços dos produtos energéticos e das matérias primas, prolongando-se a perda nos termos de troca observada no trimestre precedente.  Comparativamente com o 2º trimestre de 2021, o PIB aumentou 2,9% em volume, verificando-se um contributo positivo da procura externa líquida para a variação em cadeia do PIB, que tinha sido negativo no 2º trimestre, e um contributo positivo menos intenso da procura interna no 3º trimestre de 2021. O crescimento do PIB no 3º trimestre de 2021 reflete a diminuição gradual das restrições impostas pela pandemia, acompanhando o aumento do ritmo de vacinação contra a COVID-19, após dois trimestres com resultados opostos: a forte redução do PIB no 1º trimestre (-3,3%), determinada pelo confinamento geral e um aumento de 4,4% no 2º trimestre, marcado pelo levantamento gradual das restrições à mobilidade. Em termos de taxa de inflação, a variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) foi 1,8% em Outubro, taxa superior em 0,3 p.p. à observada no mês anterior. Excluindo os custos com alimentação e energia, o indicador de inflação subjacente também acelerou, registando uma variação homóloga de 1,1% (0,9% em Setembro). A variação mensal do IPC foi 0,5% (0,9% no mês precedente e 0,1% em Outubro de 2020). A variação média dos últimos doze meses foi 0,8% (0,6% em Setembro). Portugal: Crescimento do PIB e Saldo Externo de Bens e Serviços Fonte: Bloomberg. A taxa de desemprego foi estimada em 6,1%, valor inferior em 0,6 p.p. ao do trimestre anterior, em 1,9 p.p. ao do trimestre homólogo de 2020 e em 0,2 p.p. ao do 3.º trimestre de 2019. Por sua vez, a população empregada (4,9 milhões pessoas) aumentou 1,4% (68 mil) em relação ao trimestre anterior, 4,7% (220 mil) relativamente ao mesmo período de 2020 e 1,5% (72 mil) por comparação com o 3.º trimestre de 2019 (período pré-pandemia COVID-19). De acordo com a Direcção Geral do Orçamento (DGO), as Administrações Públicas registaram até Setembro de 2021 um défice de 4,6 mil milhões de euros, que representa uma melhoria de 677 milhões de euros em termos homólogos, resultado de um crescimento de 6,9% da receita superior em 1,6 p.p. ao da despesa. O saldo primário situou-se em 73 milhões de euros, mais 70 milhões de euros do que em Setembro de 2020. Deste modo, o total da Dívida Directa do Estado continua a aumentar, ascendendo, no final de Setembro de 2021, a 270,5 mil milhões de euros (cerca de 130,5% do PIB nacional), segundo a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP). Portugal: Dívida Directa do Estado Fonte: INE, IGCP. Valores em milhares de milhão. Países Emergentes De acordo com o FMI, as economias emergentes e em desenvolvimento são esperadas crescer 6,4%, em 2021, e 5,1%, no próximo ano. Destaque para a Índia, com um crescimento de 9,5% e 8,5%, respectivamente. A China é esperada continuar a abrandar com um crescimento de 5,6% em 2022 (8,0% em 2021). A economia chinesa cresceu 0,2% no terceiro trimestre, em cadeia, desacelerando face aos 1,2% registados no trimestre anterior. Em termos homólogos, o PIB avançou 4,9%, igualmente abrandando face aos 7,9% observados no trimestre anterior. Este foi o ritmo de expansão mais lento desde o terceiro trimestre do ano passado, devido a vários factores como a falta de energia, restrições na cadeia de abastecimentos, abrandamento do sector imobiliário e novos surtos de COVID-19. Considerando os três primeiros trimestres do ano, a economia cresceu 9,8% em relação ao ano anterior, com o consumo final respondendo por 64,8% do crescimento do PIB. Para 2021, a China estabeleceu uma meta de crescimento económico superior a 6%, depois de crescer ao ritmo mais baixo em mais de quatro décadas em 2020. Na Índia, o PIB contraiu 10,2% no segundo trimestre do ano. Em termos anuais, quando comparado com igual período do ano passado, a economia expandiu ao ritmo recorde de 20,1%, ligeiramente acima do esperado pelos analistas e, mais uma vez, reflectindo o efeito base (no segundo trimestre de 2020 a economia perdeu 24,4%, em termos homólogos). Os sectores que mais contribuíram para esta recuperação foram a construção (68,3%) e a indústria (49,6%). Do lado da despesa, a procura privada aumentou 19,3% e o investimento 55,3%. Pelo contrário, o consumo público diminuiu 4,8%. No mês de Outubro, os índices PMI Manufacturing e PMI Services fixaram-se nos 55,9 e 58,4 pontos, respectivamente, permitindo antecipar a continuação da recuperação económica nos próximos meses. Pelo contrário, no Brasil a economia parece estar a abrandar. No segundo trimestre, a economia contraiu 0,1%, em cadeia, desacelerando pelo terceiro trimestre consecutivo. Ainda assim, face ao baixo nível do produto no mesmo período do ano passado, em termos anuais a economia brasileira registou um crescimento de 12,4%, impulsionado tanto pelo sector industrial (17,8%) como pelo sector dos serviços (10,8%). A taxa de inflação tem igualmente subido, situando-se nos 10,7% em Outubro, o valor mais elevado desde Janeiro de 2016, e que compara com os 4,6% registados no início deste ano. Como tal, em Dezembro, o Banco Central do Brasil voltou a subir a taxa de juro Selic, pela sétima vez em 2021, para os 9,25% (2,0% em Janeiro deste ano). Por fim, na Rússia o PIB registou um crescimento de 4,3% no segundo trimestre de 2021, em termos homólogos, desacelerando face aos 10,5% observados no trimestre anterior. A taxa de crescimento diminuiu de seu nível mais alto desde 2000, à medida que os efeitos de base devido à pandemia começam a desaparecer. Ainda assim, a economia russa já recuperou seus níveis pré-pandemia, impulsionada por uma recuperação nos preços globais das matérias-primas. A taxa de inflação, em Outubro, fixou-se nos 8,1%, mais 2,9 p.p. que em Janeiro deste ano, e o valor mais alto desde Janeiro de 2016.  Economias BRIC Fonte: Bloomberg. Paulo Monteiro Invest Gestão de Activos - SGOIC, SA Redigido em 9 de Dezembro de 2021 Alocação de Activos Apesar da volatilidade provocada pelo surgimento, no final de Novembro, de mais uma variante do vírus SARS-COV2 – a variante Ómicron – os mercados accionistas terminam o ano de 2021 com valorizações expressivas, suportadas por um cenário macroeconómico robusto, liquidez ainda abundante e taxas de juro reais negativas, quando descontadas pela taxa de inflação.   A Ómicron veio obviamente adicionar incerteza sobre estas variáveis, ensombrando as estimativas de crescimento no próximo ano e, em particular, sobre a evolução futura da taxa de inflação, tema que tem dominado os mercados nos últimos meses. Apesar das taxas de juro forward descontarem uma normalização nos próximos anos, a taxa de inflação é esperada permanecer acima do objectivo dos bancos centrais (2%), pelo que a Reserva Federal norte-americana (FED) deverá acelerar a normalização da sua política monetária, com o fim da compra de títulos e a subida das taxas de juro em 2022. Mercados em 2021 Nos Estados-Unidos, os índices S&P-500 e Nasdaq-100 encerram o ano1 com valorizações de 25,2% e 27,2%, respectivamente, desde o início do ano. Na Europa o índice Stoxx-600 subiu 19,6%, e os índices ibéricos PSI-20 e Ibex-35 valorizaram 12,6% e 5,0%, respectivamente. Por sua vez, os mercados emergentes perderam -3,9%, em USD, penalizados, sobretudo, pelo desempenho negativo do mercado chinês (-1,4%), penalizado ao longo do ano pelo aumento da regulação nos sectores tecnológico e da educação, e pelo abrandamento súbito do sector imobiliário, o qual pesa cerca de 30% no PIB chinês (por exemplo, nos Estados-Unidos este valor situa-se nos 18%).   Em termos sectoriais, considerando os índices MSCI World, a liderança nas rendibilidades repartiu-se entre o sector Tecnológico (+29,0%, em USD), associado ao estilo de investimento Growth, e os sectores mais cíclicos (Value) como o Financeiro (+24,2%, em USD) e o Petrolífero (+37,3%, em USD), este último impulsionado pela forte recuperação da cotação do barril de petróleo (+49,1%, em USD). Pelo contrário, os piores desempenhos relativos foram registados pelos sectores de Consumo Básico (+5,8%, em USD) e das Utilities (+2,9%, em USD). Rendibilidades - 2021 YTD Fonte: Bloomberg.   Entre os mercados obrigacionistas destaque, pela positiva, para o segmento de High Yield, nomeadamente na Europa, com uma rendibilidade de (+3,8%, em EUR). Com efeito, o High Yield continuou suportado pela recuperação económica e dos resultados das empresas, num contexto de taxas de juro muito baixas, procura por yields superiores e baixas taxas de default.   Entre as obrigações de Dívida Pública os retornos foram globalmente negativos, consequência da subida generalizada das respectivas yields. Nos Estados Unidos, os Treasuries a 10 anos terminam o ano nos 1,52% (+61 bp, relativamente ao final do ano passado) e, na Zona Euro as yields dos Bunds a 10 anos subiram 26 bp, para os -0,31%. Os países europeus periféricos viram os seus spreads alargar face à Alemanha, em particular a Grécia (+50 bp) e a Itália (+23 bp). Por seu turno, o spread da dívida portuguesa manteve-se relativamente inalterado, com uma variação na ordem dos +6 bps face às yields alemãs a 10 anos. Yields das Obrigações (%) Fonte: Bloomberg. Indices Bloomberg Barclays. Yields Corp Investment Grade Inflação e Taxas de Juro Tal como referido atrás, um dos temas dominantes durante 2021, foi a forte subida da taxa de inflação ao longo ano e, em particular, a discussão quanto à sua persistência no futuro. Com efeito, numas das suas últimas intervenções públicas, Jerome Powell, presidente da FED, afirmou que a inflação poderá ser mais persistente do que inicialmente esperado, o que contribuiu para o aumento da volatilidade nos mercados, no início de Dezembro.   De qualquer forma, nos mercados monetários, as taxas forward 5y5y, geralmente utilizadas como proxy da inflação média esperada no futuro (durante os cinco anos com início daqui a cinco anos), continuam muito próximas do objectivo dos bancos centrais (1,9% na Zona Euro, e 2,5% nos Estados Unidos), sinalizando que o mercado acredita que a subida recente da inflação será transitória.   Da verificação, ou não, desta esperada normalização da inflação dependerá a acção dos bancos centrais, nomeadamente no que diz respeito à subida das taxas de juro. Para já, o mercado espera que a FED termine o tapering (processo gradual de redução da compra de títulos) em meados de 2022, começando posteriormente a subir as taxas de juro. Por sua vez, na Zona Euro, o Banco Central Europeu (BCE) deverá manter inalteradas as taxas juro, mantendo-se a perspectiva de que a subida da inflação começará a esbater-se ao longo do próximo ano.     Expectativas para Inflação   Fonte: Bloomberg. Outlook 2022 O Outlook, deste modo, permanece relativamente benigno para as classes de activos com risco, em particular para as Acções e o High Yield. A menos que a inflação se revele mais persistente que o esperado, o crescimento económico continuará robusto, as taxas de juro reais continuarão baixas e os bancos centrais agirão de forma muito gradual e sempre condicional à evolução do próprio crescimento económico e do emprego.   Assim, a Alocação de Activos recomendada mantém-se inalterada relativamente ao trimestre anterior: . Entre as Acções, o movimento de rotação sectorial ainda não está esgotado. Na nossa opinião, as yields da Dívida Pública estabilizarão em níveis superiores aos actuais (Treasuries a 10 anos na ordem dos 2%), pelo que se justifica uma combinação de sectores Growth com sectores Value, como, por exemplo, os bancos, numa óptica de protecção contra a subida das yields. . A inclinação das yield curves deverá voltar a aumentar (diferencial entre as taxas de juro nos prazos mais longos e curtos), reflectindo a estabilização da inflação em níveis superiores aos observados antes da pandemia e a diminuição dos estímulos monetários pelos bancos centrais. . Apesar de historicamente baixos, os spreads de crédito High Yield deverão manter-se suportados pelo crescimento económico, pelos bons resultados das empresas e pelas baixas taxas de incumprimento (default). . O USD deverá continuar relativamente forte, na medida em que a subida das yields dos Treasuries favorece a moeda norte-americana relativamente, por exemplo, ao EUR. . As incertezas em torno da taxa de inflação e da evolução da pandemia poderão traduzir-se num aumento da volatilidade nos mercados, em particular dos accionistas. Deste modo, conservamos uma percentagem considerável em Liquidez, sobretudo, como alternativa a Dívida Pública, onde não se perceciona valor, e como forma de possibilitar o reforço de posições em caso de uma correcção nos mercados.   Na componente de Acções, mantemos a exposição a temas, na nossa opinião, considerados estratégicos a médio-longo prazo, como as Infraestruturas, a Segurança, a Biotecnologia e a Digitalização, combinados com outros sectores mais cíclicos e tácticos, como os bancos e as empresas petrolíferas.   Entre os mercados emergentes, mantém-se a exposição à China. Na nossa opinião, para além das avaliações mais atractivas – as acções chinesas transacionam com um Price-Earnings de 13,0x (forward 12M), contra os 22,0x do índice S&P-500 –, a economia chinesa está num processo de profunda transformação, de produtor de baixo valor acrescentado para potência tecnológica mundial, porventura a única capaz de fazer frente aos Estados-Unidos. Prémios de Risco (ERP - Equity Risk Premiums) Fonte: Bloomberg, Banco Invest. ERP - Equity Risk Premium (prémios de risco) Na componente de Obrigações mantemos a exposição ao segmento de High Yield global. Na nossa opinião, o cenário de retoma económica e baixas taxas de juro continua favorável para estas empresas. Os spreads de crédito encontram-se, contudo, historicamente baixos, pelo que a rendibilidade esperada se situa em torno das actuais yields de mercado (ou seja, ganhos limitados em termos de preço e uma rendibilidade esperada mais em linha com as yields actuais). Spreads de Crédito (bp) Fonte: Bloomberg. Por sua vez, no segmento de Investment Grade (IG) mantemos a exposição a Dívida Híbrida (Hybrid Corporate Bonds, ex-Financials). Na nossa opinião, a dívida Investment Grade senior encontra-se em níveis pouco atractivos e com um risco de taxa de juro significativo (duration risk); em alternativa, para um risco de crédito semelhante, as obrigações híbridas permitem rendibilidades superiores, embora com maior volatilidade e correlação com os mercados accionistas. Para efeitos de comparação, na Zona Euro, os spreads de crédito de obrigações híbridas Investment Grade (ex-Financials) situam-se acima dos 220 bp, enquanto que nas senior se ficam pelos 60 bp, em média.   Por fim, mantemos a exposição a Dívida Emergente, em moeda local. Na nossa opinião, estas economias continuarão a registar taxas de crescimento, em média, muito superiores às das economias avançadas, suportadas por factores estruturais como a demografia, urbanização e crescimento da classe média, o que combinado com taxas de juro baixas nos Estados-Unidos e negativas na Zona Euro, significa uma alternativa interessante no espectro das obrigações. Riscos O cenário para os próximos meses não é, contudo, isento de riscos. Para além da evolução da inflação e das taxas de juro, persistem outros riscos, entre os quais destacam-se:   Resultados das empresas   Desde o início da pandemia global, nos mercados accionistas assistiu-se uma forte expansão dos múltiplos de avaliação das acções. Por outras palavras, impulsionadas pela liquidez abundante e os estímulos fiscais, as cotações das acções adiantaram-se significativamente em relação aos resultados das respectivas empresas. Por exemplo, antes do início da pandemia o índice S&P-500 transacionava com um Price-Earnings (forward 12 meses) de cerca 18x, o que compara com o actual 21x (mais 15%). Na Europa esta diferença é menor, embora a tendência seja semelhante. Ou seja, o ano de 2022 inicia-se com avaliações mais elevadas e com as margens operacionais das empresas em valores máximos históricos. A forma como as empresas conseguirem, ou não, acomodar o aumento dos custos provocado pela subida da inflação será crucial para a manutenção dos actuais price-earnings. Price-Earnings (PE) e Margens Operacionais Fonte: Bloomberg.   Economia chinesa Tal como referido atrás, a economia chinesa encontra-se num processo de transformação, visando objectivos sociais e enfatizando a qualidade do crescimento relativamente à quantidade do crescimento. O aumento da regulação em alguns sectores e o arrefecimento do sector imobiliário assustaram os investidores em 2021, e a economia chinesa mostra sinais claros de abrandamento, como patente na evolução recente dos índices PMI. Deste modo, um abrandamento mais acentuado que o actualmente esperado terá, certamente, efeitos colaterais nas restantes economias, tanto desenvolvidas como emergentes, considerando tratar-se da segunda maior economia mundial.   Índices PMI na China Fonte: Bloomberg.   Pandemia global A evolução da pandemia permanece um foco de grande incerteza sobre a economia mundial. Mesmo antes do surgimento da variante Ómicron, o número de casos de contágios vinha a aumentar, em especial, na Europa, colocando em causa o cenário de continuação da recuperação em curso da actividade económica. Embora não sendo prováveis novos lockdowns como os impostos em 2020, a necessidade de novas restrições de circulação poderá acrescentar incerteza quanto à recuperação do consumo e das cadeias de abastecimento globais.   Novos casos COVID-19 (média-móvel 7 dias) Fonte: Our World in Data. Tensões geopolíticas A volatilidade é uma característica dos mercados accionistas. Correcções de 5%-10% são relativamente normais ao longo do tempo e, como referido atrás, existem actualmente factores de incerteza que podem despoletar correcções desta magnitude. Para ocorrerem quedas superiores (a 10%), na nossa opinião, teria de se verificar uma das seguintes condições: uma recessão económica; um erro de política monetária, com uma subida abrupta das taxas de juro; e/ou um evento geopolítico. Se as duas primeiras nos parecem improváveis nesta fase, o recente recrudescimento das tensões entre a Rússia e a Ucrânia, para além de colocar em perigo a paz na região, constitui um exemplo de um evento geopolítico com consequências negativas óbvias para o actual cenário económico base. Conclusão Concluindo, a incerteza em torno da inflação e da pandemia permanece elevada, e as avaliações de alguns segmentos de mercado encontram-se historicamente altas, pelo que a diversificação continua a ser fundamental, combinando posições com maior risco e rendibilidade esperada, como é o caso das Acções, com posições de menor risco e retorno, como a Liquidez e o Ouro. Entre as Acções, a abordagem deverá ser global e com exposição às grandes tendências dos próximos anos, como a transição digital e energética. Paulo Monteiro Invest Gestão de Activos - SGOIC, SA Redigido em 9 de Dezembro de 2021 Cotações em 9 de Dezembro de 2021 1 Cotações em 8-Dezembro-21 Disclaimer A informação contida neste documento foi elaborada pelo Departamento de Gestão de Activos e tem carácter meramente informativo e particular, utilizando informação económica e financeira disponível ao público e considerada fidedigna. No entanto, a sua precisão não pode ser totalmente garantida e nada obsta a que aquelas fontes possam, a qualquer momento e sem aviso prévio, ser alteradas pelo Banco Invest.  As opiniões expressas reflectem o ponto de vista dos autores na data da publicação, sujeitas a correcções, e podem ser diferentes ou contrárias a opiniões expressas por outras áreas do grupo, como resultado da utilização de diferentes critérios e hipóteses. Assim, qualquer alteração verificada nas condições de mercado poderá implicar alterações ao conteúdo informativo deste relatório, cuja exactidão, veracidade, validade e actualidade deverá ser sempre devidamente analisada, avaliada e atestada pelos respectivos destinatários. Não há qualquer periodicidade na emissão dos presentes relatórios. O presente documento é divulgado aos seus destinatários como mera ferramenta de apoio à tomada de decisão de investimento, não devendo nem podendo substituir qualquer julgamento próprio dos seus destinatários, sendo estes, por isso, inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que pratiquem. O presente documento e as eventuais recomendações de investimento aqui contempladas não podem em nenhuma circunstância ser consideradas como consultoria para investimento. O Banco Invest rejeita assim a responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest. Mais se declara inexistirem quaisquer situações de conflito de interesses tendo por objecto o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento, por um lado, e o autor da presente recomendação ou o Banco Invest, SA, por outro. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referenciado neste documento. O Banco Invest, SA encontra-se sujeito à supervisão da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários e do Banco de Portugal.
09.12.2021 16:08
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4683 O índice S&P500 quebrou a linha de tendência ascendente e a zona de resistência nos 4660 com um enorme “gap up” de abertura. Numa óptica de “trading”, é o oposto de uma oportunidade de entrada (para os nossos modelos). Por outro lado, é visível a incapacidade para o índice tecnológico em aguentar a zona dos 16400 e o índice VIX (na zona dos 20) continua a manter alguma dúvida para o curto prazo (no que toca a novo impulso forte na volatilidade). Acima dos 4700 mandam os “bulls” e a sazonalidade fará o resto. Abaixo dos 4660 volta a estar em cima da mesa o teste à exponencial dos 200 dias. A nossa sugestão vai ter como base, e como habitualmente, o sinal do MACD horário nas zonas de resistência, neste caso apoiada em mais uma divergência no oscilador que utilizamos. O plano é então o seguinte:   Entrada nos 4683 com um “stop” @ 4708 e como objectivo, os 4458 (na zona do suporte intermédio antes da exponencial dos 200 dias – referido na última nota). Continuamos com 1/32 do risco máximo (rácio risco/retorno de 9)       Análise Anterior:S&P500 @ 4554 O 1º objectivo em baixa está atingido e ultrapassado. O bias continua negativo e saiu reforçado com novo teste falhado à resistência destacada nos 4660. Relembrando a regularidade com que o índice testa a exponencial dos 200 dias (ainda ligeiramente abaixo dos 4300), será esse o movimento que devemos esperar para as próximas semanas, desde que o preço não reconquiste os 4660, ou pelo menos não sustente acima dos 4566. Como suporte intermédio que pode provocar uma boa reacção em alta, a zona dos 4456.       Análise Anterior: S&P500 @4655 O índice negociou claramente abaixo dos 4598 na sessão de Sexta-feira, antes de um “spike” que despoletou o “protect-profit-stop” @ 4618. O plano sugerido está fechado mas a sessão de ontem não foi suficiente para invalidar a nossa expectativa. O nosso “bias” para o curto prazo continua negativo até um fecho diário acima dos máximos de ontem, ou pelo menos acima dos 4660. Próximo objectivo em baixa na zona dos 4550.       Análise Anterior: S&P500 @4618 O índice acabou de fazer um fecho horário abaixo dos 4652, pelo que a posição sugerida é neste momento “sem risco” (“stop” no “breakeven”), mas faz sentido sugerirmos vários ajustes ao plano (que continua com objectivo nos 4558). Para já vamos definir um “protect-profit-stop” nos 4658 (garantindo 2x o risco inicial) e se o preço fizer um fecho horário abaixo dos 4622, faremos nova alteração para os 4638 (3x o risco inicial). Podemos também definir mais duas alterações do “protect.profit-stop”: - A quebra dos 4598 em negociação obrigaria a alterar o “stop” para os 4618; - A quebra dos 4578 em negociação, permitiria uma última alteração, agora para os 4598.       Análise Anterior: S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
09.12.2021 11:23
Análise Técnica
Update: DAX
DAX @ 15634 O índice alemão, com uma sessão fortíssima, voltou para dentro do enorme “gap down” deixado na quebra dos 15800. Este facto obriga a um “bias” neutro e teremos agora como referência em alta para o curto prazo, os 15800. No sentido inverso, temos um suporte nos 15400 e principalmente os 15200. O gráfico horário está a sinalizar novo movimento de baixa para as próximas 2/3 sessões…     Análise Anterior: DAX @15027 O índice Alemão continua a mostrar bastante fraqueza, estando hoje a negociar claramente abaixo da exponencial dos 200 dias e aproxima-se rapidamente do importante suporte horizontal que destacamos no gráfico (14818/57) que a ser quebrado, poria definitivamente em causa a tendência de alta. O bias é negativo abaixo do intervalo 15250/81.     Análise Anterior: DAX @15972 A zona dos 16225 acabou mesmo por travar o índice e o teste à exponencial dos 200 períodos foi feito logo na abertura de ontem. O MACD horário manteve-se a apontar para baixo, deitando por terra a possibilidade de uma entrada nesta zona (como planificado na última nota). Para as próximas horas faz sentido monitorizar os 16060 como resistência e os mínimos de ontem, como suporte.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice alemão continua a aguentar as zonas de suporte de muito curto prazo e a marcar novos máximos. O final da última semana trouxe novo sinal de venda no gráfico horário e o preço está agora em cima da concentração de exponenciais de curto prazo, mostrando alguma indecisão para os próximos dias. Devemos esperar um de dois cenários: - O preço reconquista o intervalo 16217/25 em fecho horário e podemos defender a continuação do movimento de alta sem grandes recuos, com o próximo objectivo na zona dos 16500 (numa óptica de “trading” fará mais sentido continuar a olhar apenas para os componentes do índice) - O preço mostra-se incapaz de sustentar acima dos 16225 e será então de esperar um teste ao intervalo destacado a laranja no gráfico (zona onde está o “gap up” referido na última nota e onde encontramos também a exponencial dos 200 dias. Este recuo já poderá permitir uma entrada para posicionamentos mais agressivos.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice Alemão, depois de um teste à exponencial dos 200 dias, está a encetar um importante “breakout”, pelo que a nossa grande referência para as próximas sessões, está nos 15977. Podemos constatar no gráfico diário vários “gaps” de abertura, deixados neste movimento de alta. Só teremos em conta essas zonas se os 15977 voltarem a servir de resistência.     Quando olhamos para um período temporal mais curto, numa óptica de “trading”, identificamos algumas divergências negativas neste último “gap up”, pelo que mantemos alguma neutralidade no curto prazo. Como zonas de entrada, destacamos os dois “gap” assinalados no gráfico horário, no primeiro temos também a exponencial dos 50 períodos e no segundo, a dos 200. Serão estas as nossas referências para as próximas sessões.           Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
02.12.2021 16:19
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4554 O 1º objectivo em baixa está atingido e ultrapassado. O bias continua negativo e saiu reforçado com novo teste falhado à resistência destacada nos 4660. Relembrando a regularidade com que o índice testa a exponencial dos 200 dias (ainda ligeiramente abaixo dos 4300), será esse o movimento que devemos esperar para as próximas semanas, desde que o preço não reconquiste os 4660, ou pelo menos não sustente acima dos 4566. Como suporte intermédio que pode provocar uma boa reacção em alta, a zona dos 4456.       Análise Anterior: S&P500 @4655 O índice negociou claramente abaixo dos 4598 na sessão de Sexta-feira, antes de um “spike” que despoletou o “protect-profit-stop” @ 4618. O plano sugerido está fechado mas a sessão de ontem não foi suficiente para invalidar a nossa expectativa. O nosso “bias” para o curto prazo continua negativo até um fecho diário acima dos máximos de ontem, ou pelo menos acima dos 4660. Próximo objectivo em baixa na zona dos 4550.       Análise Anterior: S&P500 @4618 O índice acabou de fazer um fecho horário abaixo dos 4652, pelo que a posição sugerida é neste momento “sem risco” (“stop” no “breakeven”), mas faz sentido sugerirmos vários ajustes ao plano (que continua com objectivo nos 4558). Para já vamos definir um “protect-profit-stop” nos 4658 (garantindo 2x o risco inicial) e se o preço fizer um fecho horário abaixo dos 4622, faremos nova alteração para os 4638 (3x o risco inicial). Podemos também definir mais duas alterações do “protect.profit-stop”: - A quebra dos 4598 em negociação obrigaria a alterar o “stop” para os 4618; - A quebra dos 4578 em negociação, permitiria uma última alteração, agora para os 4598.       Análise Anterior: S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
30.11.2021 10:47
Análise Técnica
Update: DAX
DAX @15027 O índice Alemão continua a mostrar bastante fraqueza, estando hoje a negociar claramente abaixo da exponencial dos 200 dias e aproxima-se rapidamente do importante suporte horizontal que destacamos no gráfico (14818/57) que a ser quebrado, poria definitivamente em causa a tendência de alta. O bias é negativo abaixo do intervalo 15250/81.     Análise Anterior: DAX @15972 A zona dos 16225 acabou mesmo por travar o índice e o teste à exponencial dos 200 períodos foi feito logo na abertura de ontem. O MACD horário manteve-se a apontar para baixo, deitando por terra a possibilidade de uma entrada nesta zona (como planificado na última nota). Para as próximas horas faz sentido monitorizar os 16060 como resistência e os mínimos de ontem, como suporte.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice alemão continua a aguentar as zonas de suporte de muito curto prazo e a marcar novos máximos. O final da última semana trouxe novo sinal de venda no gráfico horário e o preço está agora em cima da concentração de exponenciais de curto prazo, mostrando alguma indecisão para os próximos dias. Devemos esperar um de dois cenários: - O preço reconquista o intervalo 16217/25 em fecho horário e podemos defender a continuação do movimento de alta sem grandes recuos, com o próximo objectivo na zona dos 16500 (numa óptica de “trading” fará mais sentido continuar a olhar apenas para os componentes do índice) - O preço mostra-se incapaz de sustentar acima dos 16225 e será então de esperar um teste ao intervalo destacado a laranja no gráfico (zona onde está o “gap up” referido na última nota e onde encontramos também a exponencial dos 200 dias. Este recuo já poderá permitir uma entrada para posicionamentos mais agressivos.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice Alemão, depois de um teste à exponencial dos 200 dias, está a encetar um importante “breakout”, pelo que a nossa grande referência para as próximas sessões, está nos 15977. Podemos constatar no gráfico diário vários “gaps” de abertura, deixados neste movimento de alta. Só teremos em conta essas zonas se os 15977 voltarem a servir de resistência.     Quando olhamos para um período temporal mais curto, numa óptica de “trading”, identificamos algumas divergências negativas neste último “gap up”, pelo que mantemos alguma neutralidade no curto prazo. Como zonas de entrada, destacamos os dois “gap” assinalados no gráfico horário, no primeiro temos também a exponencial dos 50 períodos e no segundo, a dos 200. Serão estas as nossas referências para as próximas sessões.           Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
30.11.2021 08:30
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @4655 O índice negociou claramente abaixo dos 4598 na sessão de Sexta-feira, antes de um “spike” que despoletou o “protect-profit-stop” @ 4618. O plano sugerido está fechado mas a sessão de ontem não foi suficiente para invalidar a nossa expectativa. O nosso “bias” para o curto prazo continua negativo até um fecho diário acima dos máximos de ontem, ou pelo menos acima dos 4660. Próximo objectivo em baixa na zona dos 4550.       Análise Anterior: S&P500 @4618 O índice acabou de fazer um fecho horário abaixo dos 4652, pelo que a posição sugerida é neste momento “sem risco” (“stop” no “breakeven”), mas faz sentido sugerirmos vários ajustes ao plano (que continua com objectivo nos 4558). Para já vamos definir um “protect-profit-stop” nos 4658 (garantindo 2x o risco inicial) e se o preço fizer um fecho horário abaixo dos 4622, faremos nova alteração para os 4638 (3x o risco inicial). Podemos também definir mais duas alterações do “protect.profit-stop”: - A quebra dos 4598 em negociação obrigaria a alterar o “stop” para os 4618; - A quebra dos 4578 em negociação, permitiria uma última alteração, agora para os 4598.       Análise Anterior: S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
26.11.2021 15:52
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @4618 O índice acabou de fazer um fecho horário abaixo dos 4652, pelo que a posição sugerida é neste momento “sem risco” (“stop” no “breakeven”), mas faz sentido sugerirmos vários ajustes ao plano (que continua com objectivo nos 4558). Para já vamos definir um “protect-profit-stop” nos 4658 (garantindo 2x o risco inicial) e se o preço fizer um fecho horário abaixo dos 4622, faremos nova alteração para os 4638 (3x o risco inicial). Podemos também definir mais duas alterações do “protect.profit-stop”: - A quebra dos 4598 em negociação obrigaria a alterar o “stop” para os 4618; - A quebra dos 4578 em negociação, permitiria uma última alteração, agora para os 4598.       Análise Anterior: S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
24.11.2021 16:12
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4666 O S&P500 acabou por fechar acima dos 4680, deixando algumas dúvidas para o curto prazo. A abertura de hoje foi em “gap down” embora com o preço dentro dos valores da última sessão. Mantemos a expectativa defendida ontem, mas vamos sugerimos para já uma alteração do “stop” para os 4708 (reduzindo o risco para metade). Se o índice fizer um fecho horário abaixo dos 4650, fará sentido nova alteração, desta vez para o “breakeven” (entrada @ 4698). Continuamos com o objectivo nos 4558.       Análise Anterior: S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
24.11.2021 10:10
Análise Técnica
Update: DAX
DAX @15972 A zona dos 16225 acabou mesmo por travar o índice e o teste à exponencial dos 200 períodos foi feito logo na abertura de ontem. O MACD horário manteve-se a apontar para baixo, deitando por terra a possibilidade de uma entrada nesta zona (como planificado na última nota). Para as próximas horas faz sentido monitorizar os 16060 como resistência e os mínimos de ontem, como suporte.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice alemão continua a aguentar as zonas de suporte de muito curto prazo e a marcar novos máximos. O final da última semana trouxe novo sinal de venda no gráfico horário e o preço está agora em cima da concentração de exponenciais de curto prazo, mostrando alguma indecisão para os próximos dias. Devemos esperar um de dois cenários: - O preço reconquista o intervalo 16217/25 em fecho horário e podemos defender a continuação do movimento de alta sem grandes recuos, com o próximo objectivo na zona dos 16500 (numa óptica de “trading” fará mais sentido continuar a olhar apenas para os componentes do índice) - O preço mostra-se incapaz de sustentar acima dos 16225 e será então de esperar um teste ao intervalo destacado a laranja no gráfico (zona onde está o “gap up” referido na última nota e onde encontramos também a exponencial dos 200 dias. Este recuo já poderá permitir uma entrada para posicionamentos mais agressivos.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice Alemão, depois de um teste à exponencial dos 200 dias, está a encetar um importante “breakout”, pelo que a nossa grande referência para as próximas sessões, está nos 15977. Podemos constatar no gráfico diário vários “gaps” de abertura, deixados neste movimento de alta. Só teremos em conta essas zonas se os 15977 voltarem a servir de resistência.     Quando olhamos para um período temporal mais curto, numa óptica de “trading”, identificamos algumas divergências negativas neste último “gap up”, pelo que mantemos alguma neutralidade no curto prazo. Como zonas de entrada, destacamos os dois “gap” assinalados no gráfico horário, no primeiro temos também a exponencial dos 50 períodos e no segundo, a dos 200. Serão estas as nossas referências para as próximas sessões.           Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
23.11.2021 15:55
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4698 O índice quebrou a zona dos 4680 e os anteriores mínimos relativos, está neste momento a fazer um “pullback” à zona das exponenciais quebradas ontem. Se o nosso cenário se confirmar, o preço deverá encontrar resistência nesta zona e deverá depois testar a zona dos 4537/60. Sugerimos então uma entrada nos níveis actuais (4698), com um “stop” @ 4718 e como objectivo, os 4558 (rácio retorno/risco de 7). Continuamos com 1/32 do risco máximo.       Análise Anterior: S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
23.11.2021 08:53
Análise Técnica
Update: S&P500
S&P500 @ 4682.95 (fecho de segunda-feira) O índice fez ontem o dia de maior volume este mês. Abertura em forte “gap up”, novos máximos e um fecho nos mínimos do dia, praticamente em cima da referência que tínhamos nos 4680. O gráfico diário ficou com padrão de topo claro se hoje o preço continuar o que começou ontem nas últimas horas de negociação.     Numa óptica de “trading” iremos considerar a quebra dos 4680 como um sinal de venda com um 1º objectivo nos 4537 (com atenção à exponencial dos 200 períodos, agora nos 4618). Iremos tentar durante a sessão sugerir um plano de entrada se o cenário se confirmar.   Análise Anterior: S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
22.11.2021 11:17
Análise Técnica
PSI-20
PSI-20 @5543 Depois de um movimento praticamente com apenas um sentido desde o 1º trimestre deste ano, o último mês trouxe uma pausa no preço que ganha especial importância por ter surgido na zona do duplo topo de 2018. A zona dos 5800 é um referência importante para a continuação da tendência de alta. Como suporte a monitorizar para as próximas semanas, o intervalo 5425/55.     Quando olhamos para o gráfico diário, identificamos várias divergências negativas entre o preço e os indicadores quando o índice tentou quebrar os 5800, destacámos também nova tentativa falhada de suplantar essa zona (1ª seta a amarelo), e por fim a quebra da exponencial dos 50 dias na semana passada (2ª seta a amarelo). Também no caso do índice nacional, podemos esperar dois cenários distintos:   - A reconquista da exponencial dos 50 dias esta semana (num movimento semelhante ao destacado com uma circunferência a laranja) e uma inversão dos indicadores em alta. A quebra dos 5800 confirmaria a saúde da tendência dos últimos trimestres. - A incapacidade para sustentar acima da exponencial referida, permitira esperar por um teste à exponencial dos 200 (destacámos as duas correcções anteriores semelhantes com 2 setas a laranja). A exponencial dos 200 dias tem inclinação positiva e está hoje nos 5245.           Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
22.11.2021 08:35
Análise Técnica
Update: DAX
DAX @ 16077 O índice alemão continua a aguentar as zonas de suporte de muito curto prazo e a marcar novos máximos. O final da última semana trouxe novo sinal de venda no gráfico horário e o preço está agora em cima da concentração de exponenciais de curto prazo, mostrando alguma indecisão para os próximos dias. Devemos esperar um de dois cenários: - O preço reconquista o intervalo 16217/25 em fecho horário e podemos defender a continuação do movimento de alta sem grandes recuos, com o próximo objectivo na zona dos 16500 (numa óptica de “trading” fará mais sentido continuar a olhar apenas para os componentes do índice) - O preço mostra-se incapaz de sustentar acima dos 16225 e será então de esperar um teste ao intervalo destacado a laranja no gráfico (zona onde está o “gap up” referido na última nota e onde encontramos também a exponencial dos 200 dias. Este recuo já poderá permitir uma entrada para posicionamentos mais agressivos.     Análise Anterior: DAX @ 16077 O índice Alemão, depois de um teste à exponencial dos 200 dias, está a encetar um importante “breakout”, pelo que a nossa grande referência para as próximas sessões, está nos 15977. Podemos constatar no gráfico diário vários “gaps” de abertura, deixados neste movimento de alta. Só teremos em conta essas zonas se os 15977 voltarem a servir de resistência.     Quando olhamos para um período temporal mais curto, numa óptica de “trading”, identificamos algumas divergências negativas neste último “gap up”, pelo que mantemos alguma neutralidade no curto prazo. Como zonas de entrada, destacamos os dois “gap” assinalados no gráfico horário, no primeiro temos também a exponencial dos 50 períodos e no segundo, a dos 200. Serão estas as nossas referências para as próximas sessões.           Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
11.11.2021 10:28
Análise Técnica
S&P500
S&P500 @ 4647 O índice fechou em baixa pelo 2º dia consecutivo e testou a 1ª exponencial que utilizamos no gráfico diário. O padrão desenhado nas últimas 5 sessões aponta para um topo de curto prazo desde que o preço não reconquiste os 4680 (faremos novo “update” se sustentar acima desta referência). Tendo presente esta possibilidade, vamos então tentar identificar os suportes (zonas de compra) que podem ser testados nas próximas sessões. Começamos obviamente pelas exponenciais, destacando as 4628 e em seguida os 4589. Se quebrar estes suportes de curto prazo, fará sentido esperar uma ida ao intervalo de surpote seguinte: 4512/4537. Seja com a reconquista dos 4680, seja com um teste saudável ao intervalo 4512/37, o padrão de alta continuará intacto.     Numa óptica de “trading” e olhando para o período temporal que acompanhamos para este efeito, destacámos as retracções de Fibonacci do último movimento de Podemos então acrescentar mais duas importantes zonas de suporte, os 4499 e os 4447, fazendo notar que abaixo dos 4537 (gráfico diário), o movimento descendente pode ganhar contornos mais agressivos…         Disclaimer O presente documento é privado e confidencial, tendo sido preparado pelo Banco Invest, S.A. (“Banco Invest”). A informação contida neste documento tem carácter meramente informativo, sendo divulgada como mera ferramenta de apoio, não podendo desencadear, ou justificar, qualquer acção ou omissão, sustentar qualquer operação, nem substituir qualquer aferição ou julgamento próprios dos destinatários, sendo estes inteiramente responsáveis pelos actos e omissões que adoptem, bem como por toda e qualquer operação efectivada e relacionada, ainda que indirecta e remotamente, com o conteúdo do presente documento. Adverte-se, igualmente, os destinatários para o facto de este documento ter sido elaborado utilizando informação económica e financeira disponível ao público, e considerada fidedigna, não garantindo o Banco Invest a sua total precisão, sendo o seu conteúdo e as respectivas fontes susceptíveis de alteração em função de um qualquer factor que modifique os pressupostos que serviram de base à apresentação dos mesmos. O Banco Invest não assume, assim, qualquer responsabilidade por quaisquer eventuais danos ou prejuízos resultantes, directa ou indirectamente da utilização da informação referida neste documento, independentemente da forma ou natureza que possam vir a revestir. Mais se adverte que a presente informação não foi elaborada com nenhum objectivo específico e concreto de investimento, não assumindo o Banco Invest qualquer obrigação de resultado. Ademais, declara-se não existirem quaisquer situações de conflitos de interesses tendo por objecto, por um lado, o título e/ou emitente a que se reporta o presente documento e, por outro lado, o autor do presente documento ou o Banco Invest. O Banco Invest, ou os seus colaboradores, poderão deter, a qualquer momento, uma posição sujeita a alterações, em qualquer título referido neste documento. Não é permitida a reprodução total ou parcial deste documento, sem autorização prévia do Banco Invest.  
15.12.2021 09:13
ChartBook US Macro
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 09:13
ChartBook Forex
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 09:12
ChartBook EUR Macro
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 09:11
ChartBook Commodities
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 08:48
ChartBook Sectores
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 08:47
ChartBook PMI
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
15.12.2021 08:47
Masterlist Portugal
13 de Dezembro de 2021
[ download ]
Na próxima semana, os horários de negociação das bolsas a nível mundial irão sofrer alterações devido ao Natal. No dia 24 de Dezembro, a bolsa de Londres encerra pelas 12h35 e as bolsas Euronext (Amesterdão, Bruxelas, Lisboa e Paris) terminam a sessão de negociação às 13h05. Todas as restantes bolsas, incluindo Estados Unidos, encontram-se encerradas para negociação na véspera de Natal. A bolsa de Londres também encontra-se fechada nos dias 27 e 28 de Dezembro. Em termos macroeconómicos, o destaque vai para a divulgação do Produto Interno Bruto dos Estados Unidos no dia 22. Os economistas esperam uma expansão de 2,1% no terceiro trimestre. No dia 23 será revelado o índice PCE e encomendas de bens duradouros. Segunda-feira, 20 de Dezembro 2021   • 09h00: Conta Corrente BCE (Out) • 09h30: Conta Corrente Itália (Out)  • 11h00: Índice de Preços ao Produtor Portugal (Nov) • 15h00: Leading Index EUA (Nov) Terça-feira, 21 de Dezembro 2021   • 07h00: Confiança do Consumidor GfK Alemanha (Jan) • 10h00: Índice de Preços ao Produtor Itália (Nov) • 11h00: Vendas a Retalho Reino Unido (Dez) • 13h30: Conta Corrente EUA (3.º Tri) • 15h00: Confiança do Consumidor Zona Euro (Dez) Quarta-feira, 22 de Dezembro 2021 • 07h00: Conta Corrente Reino Unido (3.º Tri) • 07h00: PIB Reino Unido (3.º Tri) • 07h00: Importações e Exportação Reino Unido (3.º Tri) • 07h45: Índice de Preços ao Produtor França (Nov) • 08h00: Índice de Preços ao Produtor Espanha (Nov) • 09h00: Discurso de Holzmann, membro do BCE • 13h30: PIB EUA (3.º Tri) • 15h00: Confiança do Consumidor EUA (Dez) • 15h00: Vendas de Casas Usadas EUA (Nov) • 15h30: Inventários Semanais de Crude EUA Quinta-feira, 23 de Dezembro 2021 • 05h30: Vendas a Retalho Reino Unido (Nov) • 08h00: PIB Espanha (3.º Tri) • 09h00: Confiança do Consumidor Itália (Dez) • 13h30: Rendimentos e Gastos Pessoais EUA (Nov) • 13h30: Pedidos Semanais de Desemprego EUA • 13h30: Índice PCE EUA (3.º Tri) • 13h30: Encomendas de Bens Duradouros EUA (Nov) • 15h00: Índice de Confiança do Consumidor da Universidade de Michigan EUA • 23h50: Inflação Japão (Nov) Sexta-feira, 24 de Dezembro 2021 • 05h00: Casas Iniciadas Japão (Nov) • Bolsa de Londres encerra pelas 12h30 • Bolsas de Euronext encerram pelas 13h05 • Bolsas EUA encerradas  Para consultar a agenda semanal, aceda ao link abaixo:  Agenda Semanal - 20 a 24 de Dezembro 2021
A Microsoft é a empresa que paga o maior montante de dividendos no valor de $16,9 mil mn mas a Johnson & Johnson é o que tem o "dividend yield" mais elevado.
A semana foi repleta de reuniões de política monetária de bancos centrais e com algumas surpresas, como no caso do Banco de Inglaterra.  Estas foram as mexidas nas taxas de juros directoras esta semana: • Sem alterações: Estados Unidos, Japão, Zona Euro • Subidas: Brasil, Chile, México, Noruega, Peru, Polónia, Reino Unido, Rússia, Suécia  • Descidas: Turquia
A Rivian lançou o seu primeiro modelo em Setembro, a pickup plug-in R1T e já tem pré-vendas líquidas para os dois modelos R1 de 71.000 até 15 de Dezembro vs 55.400 no final de Outubro. Contudo, a fabricante de veículos eléctricos anunciou que deverá fabricar menos de 1.200 unidades até o final do ano, falhando a sua meta de produção. A Rivian iniciou as entregas do seu R1S SUV este mês e tem ainda uma encomenda para produzir 100.000 vans eléctricas para a Amazon Estes foram os seus resultados trimestrais anunciados ontem , após o fecho do mercado norte-americano: - EBITDA ajustado: -$727 mn vs -$589,6 mn Est. - Receitas: $1 mn vs $1,04 mn Est.
A taxa de inflação homóloga na Zona Euro subiu para 4,9% em Novembro, um aumento de 0,8 pontos percentuais face ao mês anterior. Este valor foi um novo máximo histórico mas de acordo com as expectativas dos economistas. Em Novembro, a maior contribuição para a taxa anual de inflação da Zona Euro foi a energia (+2,57 pontos percentuais, pp), seguida dos serviços (+1,16 pp), bens industriais excluindo energia (+0,64 pp) e alimentos, álcool e tabaco (+0,49 pp). As projecções oficiais do Banco Central até 2024 mostram a inflação ainda em níveis inferiores com o valor mais elevado de 3,2% em 2022.
Hoje é o último dia que os accionistas da Corticeira Amorim têm direito ao dividendo ilíquido de €0,085 por acção. Na Segunda-feira, dia 20 de Dezembro, as acções negoceiam ex-dividendo e o pagamento será efectuado no dia 22 de Dezembro. Ontem, o Conselho de Administração da Navigator também anunciou que decidiu efectuar um adiantamento sobre os lucros aos accionistas, a realizar até ao final do ano. Esse adiantamento equivale ao valor ilíquido de €0,0703 por cada acção da Navigator detida.
Hoje é dia de vencimento trimestral simultâneo de opções e futuros sobre índices e acções.  Estas são as horas de vencimento de cada índice:   10h15 - FTSE 100   11h00 - EUROSTOXX 50   12h00 - DAX 30   13h30 - S&P 500, NASDAQ, DOW JONES, RUSSELL   15h00 - CAC 40
O índice de confiança empresarial na Alemanha do Instituto de Investigação Económica alemão (Ifo), desceu para 94,7 pontos em Dezembro, em comparação com 96,6 no mês anterior, aquém das previsões dos economistas de 95,3 pontos. As expectativas IFO também desceram para 92,6 pontos abaixo do esperado de 93,6 pontos e o IFO actual foi de 96,9 pontos também aquém dos 97,5 pontos estimados.
O Eurostat irá relevar hoje, pelas 10h00, os dados finais do índice de preços no consumidor da Zona Euro, em Novembro. Os economistas esperam que atinja 4,9% que é o valor mais elevado de sempre. Hoje também é dia de vencimento trimestral simultâneo de opções e futuros sobre índices e acções e aguarda-se um aumento da volatilidade porque os investidores fecham as suas posições e abrem outras com vista já no próximo trimestre, o que gera um elevado volume de operações. Na Ásia, o índice Nikkei 225 fechou a cair 1,79%, após o Banco do Japão ter anunciado que vai reduzir as compras de papel comercial e divida empresarial, a partir de Abril, para cerca de 5 biliões de ienes face ao anterior limite de 20 biliões de ienes. As praças chinesas encerraram em queda com os receios em relação à variante Ómicron. As bolsas norte-americanas encerraram no vermelho, com o índice Nasdaq muito penalizado com uma desvalorização de 2,47%. O número de pedidos de subsídios de desemprego nos Estados Unidos, na última semana, aumentou em 18 mil, para 206 mil, face à semana anterior, superando as previsões dos economistas de 200 mil. Dados Macroeconómicos:  00h01: Confiança dos Consumidores GfK (Dez)  07h00: Vendas de Automóveis (Nov)  07h00: Índice de Preços ao Produtor (Nov)  07h00: Vendas a Retalho (Nov)  09h00: Índice IFO das Expectativas (Dez)  09h00: Balança Comercial (Out)   09h30: Conta Corrente (Out)  10h00: Inflação (Nov)  10h00: Output de Construção (Out) Eventos:  Último dia que as acções da Corticeira Amorim negoceiam com direito ao dividendo de €0,085 por acção  03h00: Decisão da Taxa de Juro pelo Banco do Japão  09h00: Discurso de Rehn, membro do BCE  18h00: Discurso de Waller, membro da Fed Resultados Empresariais:  Darden Restaurants (AA) Estes são os principais destaques da imprensa hoje:  Novo cheque da "bazuca" só chega após as eleições  Sondagem: Direita sobe e Chega é a terceira força política  Fundos duplicam exposição ao clube dos juros negativos  Segurança Social encaixou 5,32 mil milhões com imigrantes  PSD em modo de campanha com instabilidade à espreita  Há tradutores dos tribunais à espera de serem pagos há dez anos  Investidores vão avançar com valores para Meo até dia 20  Siemens Portugal vai contratar mais 500 pessoas nos próximos cinco anos  Santander envia por erro cartas sobre risco de incumprimento  Compra de dívida acaba em Março  Sondagem: Costa tem vantagem mas Rio está a crescer  Portugueses gastam mais nas compras este Natal  Vacinas: Ómicron obriga país a reservar quarta dose  Cerca de 567 mil famílias com renda acima dos 650€  Em dois anos e meio criou-se apenas uma SIGI. Euronext reconhece fracasso
Amanhã é historicamente um dos dias mais voláteis com um elevado volume de transacções devido ao "triple witching" que é o vencimento simultâneo de três contratos: futuros de índices e opções sobre índices e acções, tanto nos EUA como na Europa. Este evento ocorre quatro vezes por ano na terceira Sexta-feira de Março, Junho, Setembro e Dezembro. Para além disso, espera-se o rebalanceamento e reconstituição de vários índices mundiais.  Conforme o gráfico da Bloomberg, o índice S&P 500 desvalorizou nos últimos sete "triple witchings".
O Banco Central Europeu anunciou que vai reduzir, já a partir de Janeiro, o volume mensal de compras de dívida pública, naquele que será o primeiro passo no processo de retirada progressiva dos estímulos. Em compensação ao abrandamento das compras dos próximos meses, o BCE prolongou até ao final de 2024 o período durante o qual irá reinvestir os títulos de dívida comprados através do programa de emergência pandémica. Além disso, o BCE anunciou que no caso do programa normal de compra de activos, cujas compras mensais são actualmente de €20 mil mn, se irá processar um aumento para €40 mil mn ao mês no segundo trimestre de 2022, passando depois para €30 mil mn no terceiro trimestre e regressando a €20 mil mn a seguir. Para além disso, o banco central reviu em alta as suas previsões para a inflação na Zona Euro. Para este ano, antecipa uma taxa de inflação média de 2,6%, quando em Setembro previa 2,2%. Em 2022, a inflação não irá descer rapidamente, como antes esperado pelo banco central, e ficará em média em 3,2%, em vez dos 1,7% antes previstos. Para 2023 e 2024, a taxa de inflação projectada é agora de 1,8%, perto do objectivo de 2% e acima da previsão de de 1,5% para 2023 que tinha sido feita em Setembro.  
Hoje, o Banco de Inglaterra aumentou inesperadamente as taxas de juro, para controlar a inflação, a primeira subida das taxas por parte de um dos principais bancos centrais desde que a pandemia do coronavírus começou. Os responsáveis do Comité de Política Monetária votaram por oito contra um para aumentar a taxa de juro para 0,25% face a um mínimo recorde de 0,1%, dizendo que a robustez do mercado de trabalho significa que os custos de financiamento são apropriados para lutar contra o crescimento dos preços. Por conseguinte, a libra apreciou 0,75% para 1,3361 em relação ao dólar, em reacção à decisão do Banco de Inglaterra.  
O "cheat sheet" do Vanda Research resume as várias hipóteses em cima da mesa para o Banco Central Europeu hoje: - Confirmação de que o PEPP ("Pandemic Emergency Purchase Programme) irá terminar em Março de 2022; - Possível aumento do APP ("Asset Purchase Programme") que neste momento é de €20 mil mn por mês; - Aumento da taxa de juro directora em 20 pontos base até Dezembro 2022.
Historicamente, o chamado "Santa Rally” ocorre a partir de meados de Dezembro até o final do ano, em que se verifica um comportamento bastante positivo nas principais bolsas de valores mundiais. De acordo com o LPL Financial, as bolsas sobem ainda mais em Dezembro quando se verificam as seguintes condições: - O mês de Novembro registou uma rendibilidade negativa; - Ganho superior a 20% desde o início do ano até finais de Novembro Ambas estas condições já se verificaram este ano, por isso, mesmo com a Reserva Federal mais "hawkish", os mercados poderão continuar a sua trajectória positiva pelo menos até o final do ano.
A Reserva Federal manteve as taxas de juro directoras no intervalo 0,00%-0,25% e optou por uma postura mais "hawkish", acelerando o ritmo de redução de compras. De acordo com o "Dot Plot" da Reserva Federal: - 2022: Os membros antecipam três subidas de taxa até o intervalo 0,75%-1,00%; - 2023: Mais três 3 subidas de taxa de juro até 1,50%-1,75%; - 2024: Duas novas subidas da taxa de juro até atingir intervalo 2,00%-2,25%. A longo prazo, a mediana das projecções permanece inalterada em 2,5%.
Tendência de Investimento
Biotecnologia
27.10.2021
Hoje Feriados 2021
  • 12
    20
    [eu]09h00: Conta Corrente BCE (Out)
    [it]09h30: Conta Corrente (Out) 
    [pt]11h00: Índice de Preços ao Produtor (Nov)
    [us]15h00: Leading Index (Nov)
     
  • 12
    21
    [de]07h00: Confiança do Consumidor GfK (Jan)
    [it]10h00: Índice de Preços ao Produtor (Nov)
    [uk]11h00: Vendas a Retalho (Dez)
    [us]13h30: Conta Corrente (3.º Tri)
    [eu]15h00: Confiança do Consumidor (Dez)
  • 12
    22
    [uk]07h00: Conta Corrente (3.º Tri)
    [uk]07h00: PIB (3.º Tri)
    [uk]07h00: Imprtações e Exportação (3.º Tri)
    [fr]07h45: Índice de Preços ao Produtor (Nov)
    [es]08h00: Índice de Preços ao Produtor (Nov)
    [eu]09h00: Discurso de Holzmann, membro do BCE
    [us]13h30: PIB (3.º Tri)
    [us]15h00: Confiança do Consumidor (Dez)
    [us]15h00: Vendas de Casas Usadas (Nov)
    [us]15h30: Inventários Semanais de Crude 
  • 12
    23
    [uk]05h30: Vendas a Retalho (Nov)
    [es]08h00: PIB (3.º Tri)
    [it]09h00: Confiança do Consumidor (Dez)
    [us]13h30: Rendimentos e Gastos Pessoais (Nov)
    [us]13h30: Pedidos Semanais de Desemprego 
    [us]13h30: Índice PCE (3.º Tri)
    [us]13h30: Encomendas de Bens Duradouros (Nov)
    [us]15h00: Índice de Confiança do Consumidor da Universidade de Michigan 
    [jp]23h50: Inflação (Nov)
     
  • 12
    24
    [jp]05h00: Casas Iniciadas (Nov)
    [uk]Bolsa de Londres encerra pelas 12h30
    [eu]Bolsas de Euronext encerram pelas 13h05
    [us]Bolsas EUA encerradas 
  •  

  •  

  •  

INVEST OUTLOOK   2022
09.12.2021 Análise Técnica

Update: DAX


04.11.2021 Inflação

Proteja os seus investimentos


14.12.2021 Análise Técnica

Update: S&P500


Invest AR PPR

ACESSO INVEST ONLINE
Este site utiliza cookies para funcionar correctamente. Ao continuar no site está a consentir a sua utilização. SABER MAIS Concordo